Petrópolis, 28 de Setembro de 2022.
Matérias >> Artigos
   
  Mobilidade urbana sustentável

Data: 31/03/2014

Mobilidade urbana sustentável

Cena 1:
No Brasil, em janeiro de 2012, foi aprovada a PNMU (Política Nacional de Mobilidade Urbana), um conjunto de medidas que prometem melhorias no transito das grandes cidades brasileiras. A Lei nº 12.587 passou 17 anos tramitando no Congresso Nacional, e visa ampliar os transportes públicos e não motorizados como meio de melhorar a mobilidade urbana e a qualidade de vida.

Cena 2:
Mantega divulga novas medidas de incentivo para venda de veículos – seg, 21 de mai de 2012
"O setor automobilístico é muito importante na economia brasileira, representa mais de 20% do PIB (Produto Interno Bruto) industrial", disse Mantega. "O Brasil tornou-se no ano passado o terceiro maior mercado automobilístico do mundo e queremos que o País continue sendo um dos maiores players do mundo", continuou o ministro ao justificar as medidas.

Cena 3:
Agora: vejam abaixo, artigo do jornalista Claudio Angelo, da Folha de São Paulo, (com uma perfeita análise sobre o novo incentivo que o Governo Federal criou para a venda de carros no Brasil).

 “PACOTE DE MANTEGA É A ANTÍTESE DA RIO+20
O Ministro da Fazenda, Guido Mantega, acaba de anunciar mais um presentão para a indústria automobilística: R$ 1,2 bilhão para montadoras, redução de IPI para carros de até mil cilindradas até quase zero e condições de mãe para filho para a compra de ônibus e caminhões: os juros caem de 7,7% para 5,5% ao ano (“é quase juro negativo”) e o prazo de financiamento dilatado de 96 meses para 120 meses......
....Senão vejamos: o governo brasileiro defende um freio à produção e ao consumo insustentáveis ao mesmo tempo em que tenta acelerar a economia do país estimulando uma indústria e um meio de transporte de cargas (o caminhão) que são o exato oposto de sustentáveis (devoram recursos naturais, rodam com combustíveis fósseis subsidiados, tornam a vida nas cidades um inferno). Como no Dr. Fantástico de Kubrick, o governo age com dupla personalidade: uma mão segura a cigarrilha, a outra faz saudações ao Führer.”
Cena 4:
“To be, or not to be, that is the question”  William Shakespeare´s play Hamlet.

Cena 5:
Retornemos a Petrópolis.
Ontem foi realizada a Conferência Municipal de Petrópolis 2014 que teve como tema a mobilidade urbana, assunto que está na pauta dos prefeitos, principalmente das grandes e médias cidades. 
Mobilidade é o grande desafio das cidades contemporâneas, em todas as partes do mundo. A opção pelo automóvel, que parecia ser a resposta eficiente do século 20 à necessidade de circulação, levou à paralisia do trânsito, com desperdício de tempo e combustível, além dos problemas ambientais de poluição atmosférica e de ocupação do espaço público. No Brasil, a frota de automóveis e motocicletas teve crescimento de até 400% nos últimos dez anos.
A preocupação com a vida, com o meio ambiente e com as gerações futuras levou ao conceito de mobilidade urbana sustentável.
As bicicletas despontam como alternativa saudável, viável e necessária para uma cidade sustentável.  Nesse sentido, o Rio de Janeiro ganhou seu primeiro mapa cicloviário, que traz informações importantes para os ciclistas e orienta toda a movimentação na cidade.

Epílogo 
Uma coisa eu posso garantir a vocês, meus caros leitores, nada dará certo se não existir um planejamento adequado e baseado em um modelo de implantação que contemple as variáveis que influenciam o processo. Também achamos, tenho certeza, eu e vocês, que existem reuniões em excesso e que muitas ações simples já poderiam estar em andamento, tais como: coibir o barulho dos veículos e a emissão de gases poluentes que estejam acima do permitido por lei.


Alexandre Hugueney - achugueney@gmail.com
Economista, engenheiro e professor de Gestão Ambiental e Planejamento Estratégico

 




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS