Petrópolis, 19 de Setembro de 2020.
Matérias >> Artigos
   
  BR-040: paciência tem limite...

Data: 27/04/2014

BR-040: paciência tem limite...

Tribuna de Petrópolis, domingo, 27 Abril 2014 11:33

 

“Tem mal que vem pra bem”, “não foi só com você que aconteceu isso”, “não adianta reclamar, nada acontece”, “ninguém toma providência”...

Ouvi várias frases que me ajudaram a refletir sobre o que vivi no início da madrugada da quinta-feira santa (17/04): saí de casa com destino ao Aeroporto Santos Dumont. Pretendia chegar entre 05:00 e 05:30, pois tinha um voo marcado para 7:06. Em Xerém, por volta das 04:30, deparei-me com o trânsito parado por causa do fechamento da pista de descida da BR 040. Pensei que fosse uma pequena retenção e logo o trânsito iria fluir. Mas o tempo foi passando e a minha aflição foi crescendo. Fiquei parado por uma hora e meia. Em síntese, perdi o voo. Peregrinei pelos balcões das companhias aéreas, mas não consegui nada, não havia como ir a Teresina. E nenhum dos meus amigos tem jatinho...

Às 09:00, quando me dei por vencido, liguei para a casa da minha mãe. Antes de passar a triste notícia, ela identificou a minha voz e falou: - Que hora você vai chegar? Já coloquei a comida que você gosta no fogo...
Travei. Não consegui falar, a voz sumiu. Disse com os olhos cheios d’água: - mãe, não vai dar para almoçar hoje com a senhora, perdi o voo. Espere um minutinho que já ligo de novo. Desliguei o telefone e comecei a chorar. Pois é! Isso mesmo... um mico! Um marmanjo com mais de meio século de vida chorando com saudade da mãe no saguão do aeroporto...

Subo e desço essa serra há mais de vinte e cinco anos, antes mesmo da duplicação da Rodovia Washington Luís. Já estou calejado com engarrafamentos. Mas esse mexeu com os sentimentos de quem mais prezo neste mundo.  Estou relatando esse fato sem pretensão de pedir ressarcimento do prejuízo financeiro, nem danos morais. Quero apenas solicitar um pouco mais de respeito com a população. Não vi em nenhum jornal, notícias sobre o fechamento da BR 040, ou que o trânsito seria desviado por causa de obra. No site da concessionária também não vi nada sobre o assunto. E posso afirmar que a imprensa de Petrópolis não se nega a publicar informações de utilidade pública. O amigo taxista que me levava, movido por um sentimento de impotência, repetidamente me dizia: 

- Professor, eu passei aqui ontem, vi a obra mas nada dizia que hoje a pista seria fechada. No pedágio, não tinha nada falando sobre isso...

No sábado (19/04), o jornal O Globo colocou na primeira página: “Sem manutenção, Rio-Petrópolis vira rodovia da morte”. “BR-040 registra aumento de 48% no número de vítimas”.  A imprudência e a imperícia são fatores que contribuem para o crescimento do número de acidentes. Mas as péssimas condições das estradas colaboram para o aumento desse número. 

Tenho esperança de que, no próximo caso em que a pista precisar ser fechada, a população que depende dela seja avisada. Não vi nos jornais locais nenhuma nota da concessionária esclarecendo esse transtorno.
Quando voltei a Petrópolis, depois das 10:00 horas, havia algumas retenções na pista de subida. Alguns operários, em pleno início de um feriado prolongado, colocavam asfalto para cobrir os buracos da pista pavimentada. Acho que seria mais sensato tampar os buracos antes do aumento do fluxo de veículos...
Caros amigos, sei que muitas pessoas passaram por situações piores do que a minha. Mas não dá para conter o sentimento de tristeza só por ser menos trágico...

P.S.: Em alguns banheiros públicos, encontramos uma plaquinha que diz: “Cuidado, piso molhado”. Ao ler, tomamos mais cuidados para não escorregar. Considero isso um gesto de atenção com os usuários. Às vezes acho que a população se revolta porque se sente ignorada, quando espera uma ação mais eficiente do poder público.

 

Ataualpa A. P. Filho - Escritor 




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS