Petrópolis, 18 de Julho de 2018.
Matérias >> Vida Comunitária >> Entidades de Cunho Popular
   
  PEÇA “A CONFERÊNCIA” DE VOLTA AOS PALCOS DE PETRÓPOLIS

Data: 29/03/2011

PEÇA “A CONFERÊNCIA” DE VOLTA AOS PALCOS DE PETRÓPOLIS

 

Adaptação livre do original “Quem tem medo de Itália Fausta?”, de Miguel Magno e Ricardo de Almeida será apresentado no Theatro Dom Pedro no sábado, dia 02 de abril, a partir das 21h.

 

As protagonistas deste espetáculo, Fanta Maria e Pandora Helena, quase que possuem vida própria, já vieram à cena milhares de vezes em cerca de 30 anos de existência no cenário cultural brasileiro e sul-americano, através do texto original.

 

As divas do “besteirol”, como foram batizadas pela crítica especializada, continuam fazendo rir e desta vez ressurgem no hilariante e divertido espetáculo “A Conferência”. Sob a batuta experiente da renomada atriz e professora de artes cênicas, Monah Delacy que assina a direção dos atores Cláudio Gomide e Paulo Zanon, fluminenses e petropolitanos de berço, incansáveis amantes do teatro que encontraram neste trabalho uma oportunidade de exercitar seus talentos e irradiar alegria.

 

Fanta Maria e Pandora nasceram e rapidamente angariaram fama com as três montagens profissionais realizadas pelos criadores, os paulistas Miguel Magno e Ricardo de Almeida e ao longo de sua trajetória foram até “emprestadas” a outros espetáculos, como em “Passagem para Java” (Porto Alegre-RS/1986), “A Bofetada” (Salvador-BA/1988) e “Cinco Vezes Comédia” (Rio, São Paulo e vários outros estados/1995). Elas também sobreviveram em programações culturais amadoras pelo interior do país, além de outras montagens profissionais, como na divertidíssima versão no formato de Teatro em Domicílio (São Paulo-SP/1993-95), e nas montagens de Belo Horizonte, de Buenos Aires e de Montevidéu.

 

Em 1979, muito antes das irreverências da TV Pirata, Casseta e Planeta e o Pânico invadirem as telinhas, quase duas décadas antes do surgimento da internet e seus sites irreverentes e escrachados como o Youtube, o teatro brasileiro conhecia o primeiro texto do mais legítimo besteirol: “Quem Tem Medo de Itália Fausta?”.

 

Passaram-se 32 anos, veio a abertura política, o impeachment, elegemos e reelegemos dois presidentes pelo voto direto, elegemos a primeira mulher presidenta, o Brasil tornou-se pentacampeão de futebol e próxima sede da Copa do Mundo e das Olimpíadas e o texto de Miguel Magno e Ricardo de Almeida não perdeu a identidade. Pelo contrário. Ganhou inúmeras montagens e continua divertindo as platéias, com humor inteligente que consegue tornar as pessoas leves e felizes depois de muitas gargalhadas.

 

O que permitiu a sobrevivência e atualidade do espetáculo foi, sem dúvida, o fato de os autores terem percebido desde o início que haviam criado um jogo teatral, onde o texto é mais um pretexto para o exercício de interpretação que nasce direto da encenação, do lúdico. Só muito depois é que isso foi sistematizado no papel em forma de roteiro.

 

De volta ao cartaz com “A Conferência”, as divas Fanta Maria e Pandora vão permitir ao público ver de muito perto e participar deste “jogo teatral” onde os atores se apóiam, sobretudo, na disponibilidade para o improviso que o texto exige e na descoberta que se o teatro não estiver dentro do ator, não estará em lugar nenhum.

 

A peça, que se passa durante uma conferência sobre a ilha de Java, trás as estrelas da noite como convidadas para apresentar sua pesquisa sobre a importância dos monossílabos e das interjeições átonas na cultura Javanesa, com isto as duas fazem do teatro uma grande sala de aula e da platéia seus alunos.

 

Com muita graça e irreverência as professoras não só falam de sua tese, mas contam como foi sua viagem e contado com o povo da ilha. Mas, esta não é uma conferência comum, situações hilárias e comentários engraçados, sobre pessoas e situações do, digamos, meio acadêmico das duas mestras, tiram risos da platéia. Nestes momentos os atores brincam com nomes de pessoas públicas do meio cultural e político brasileiro, fazendo uma pequena critica a certas situações do país. Durante o espetáculo também é feita uma homenagem a essa classe tão importante que são os professores.

 

A platéia também participa da aula. Não só quanto todos são convocados a emitir os bi-labiais javaneses, mas também quando alguns “voluntários” sobem ao palco para fazer um teste individual.

 

Como toda boa conferência, nesta não poderia deixar da faltar à apresentação do material didático. As queridas pesquisadoras mostram, através de projeções, as paisagens da ilha e seus habitantes que, segundo as imagens, não são muito diferentes dos brasileiros. Neste momento impar da peças algumas surpresas também acontecem.

 

Assim, com muita descontração, Pandora, uma professora não muito séria e severa como aparenta e Fanta, uma mestra simpática sensível e muito dada, fazem o público rir, se divertir e sair do teatro lembrando dos mestres que passaram por suas vidas e dos quais eles não esqueceram jamais.

 

A classificação indicada para a peça é de 18 anos e os ingressos já estão à venda na bilheteria do Theatro Dom Pedro que fica localizado Praça dos Expedicionários s/nº, Centro – Petrópolis/ RJ. A entrada custa R$10,00 (dez reais) a inteira e R$5,00 (cinco reais) a meia entrada destinada a estudantes, idosos, deficientes físicos e associados Unimed.

 

UM POUCO DA HISTÓRIA DE “A CONFERÊNCIA”

 

Num dia de verão a beira da praia, curtindo as férias, dois amigos, Paulo e Cláudio, tiveram a idéia de montar um espetáculo onde eles pudessem estar em cena juntos, afinal de contas, já haviam trabalhado juntos em outras produções, mas cumprindo tarefas diferentes.

 

Os deuses do teatro já tinham entregue através das mãos do também amigo, ator e produtor Joaquim Cordeiro Filho, o texto “Quem tem medo de Itália Fausta” para um deles e foi justamente esta peça, que ambos já tinham assistido, que inspirou a idéia de fazer um espetáculo experimental para amigos e convidados.

 

Assim, lendo o texto sob o sol de verão e entre risos e algumas águas de coco, eles resolveram trazer de volta as musas do besteirol, as professoras Fanta Maria e Pandora. Mas para que as mestras retornassem ainda mais atuais e com maior destaque, os atores optaram por adaptar uns dos esquetes da peça de Miguel Magno e Ricardo de Almeida e, ali mesmo a beira-mar, fizeram o esboço do texto que pretendiam encenar.

 

Terminadas as férias era hora de por a mão na massa, do sonho virar realidade, o esboço virar um texto e este ser encenado. Os dois amigos recorreram a mestra e amiga Monah Delacy e também a amiga Adriana Souza, ex-aluna da Monah e formada em artes cênicas pela UNIRIO e, assim, depois de muita conversa, dicas, idéias e risos, nasceu à peça “A CONFERÊNCIA”.

 

Com o texto pronto era hora de arregaçar as mangas e apresentar tia Pandora e tia Fanta para o público. Para isso foram necessários alguns meses de ensaios, preparação de corpo e voz, criação de figurinos, trabalho de produção, apoio de pessoas queridas, acertos de luz e som, insônia, ansiedade, seriedade e diversão. O resultado desse trabalho foi apresentado para uma platéia de 300 convidados, entre parentes e amigos, que receberam com muitos aplausos e gargalhadas as professoras e a tese sobre monossílabos e as interjeições átonas na ilha de Java no século XII AC.

 

A versatilidade do texto em brincar com temas atuais e específicos mais o talento dos atores somados a experiência e profissionalismo da atriz, escritora e diretora Monah Delacy, fez desta apresentação um sucesso, tanto que uma das convidadas: Myrian Dauelsberg, Diretora-Presidente da Dell’Arte Soluções Cultuais, contratou o espetáculo para ser apresentado no V Festival de Inverno de Petrópolis, onde foi a segunda maior bilheteria do festival, o espetáculo teve a diferença de apenas um ingresso para o show da Zélia Duncan.

 

As professoras não pararam por aí. A peça foi contratada pela OAB de Petrópolis para se apresentar na Semana Jurídica, realizada nesta cidade. Fizeram uma temporada no Teatro Paulo Gracindo, onde levaram o riso para mais de 3000 pessoas. Participaram, como espetáculo convidado, da V mostra de Teatro de PETRÓPOLIS e, mais recentemente, os atores foram contratados pela Secretaria de Educação da cidade serrana para apresentarem o espetáculo no Teatro Quitandinha, no encerramento do Seminário de Educação. Lá as queridas mestras foram assistidas e aplaudidas por mais de 800 professores.

 

DIREÇÃO

Monah Delacy

 

A experiente atriz, autora e diretora, com mais de 50 anos de carreira, já atuou em mais de 40 peças, entre elas “A Gaivota”, “A Cerimônia do Adeus”, “Equus”, “Seis Personagem a Procura de um Autor” (na qual foi premiada na temporada em Portugal), “Tiro e Queda”, “Calúnia”, “Vejo um Vulto na Janela me Acudam que sou Donzela” entre tantas outras.

 

Na televisão atuou em diversas novelas com destaque para: “Irmãos Coragem”, “Gabriela”, “A Gata Comeu”, “Champagne”, “Dona Beija”, “Corpo a Corpo”, “Senhora do Destino” e a minissérie “O Quinto dos Infernos”. Em 2007 atuou na novela “Dance Dance Dance”.

 

Entre as peças que escreveu está a premiada “O Parto da Búfala” com José Mayer e Ângela Vieira, “Éramos Assim, Ficamos Assim” e a ainda inédita “Tudo em Copacabana”.

 

Monah atuante é professora de artes cênicas no Rio de Janeiro e em todo país. Por conta disso em 2003 lançou o livro “Introdução ao Teatro” pela Editora Vozes. A primeira aluna foi sua própria filha a atriz Christiane Torloni.

 

“Ao disponibilizar seu método de ensino, mamãe dá uma preciosa contribuição aos deuses do teatro, ajudando a formar atores mais completos, inspirados e conscientes da magia de seu oficio." Christiane Torloni

 

SERVIÇO

Data: Sábado, 02/04/2011

Horário: 21h

Local: Theatro Dom Pedro

Praça dos Expedicionários s/nº

Centro – Petrópolis/ RJ

Ingressos:

Entrada: R$10,00 (dez reais)

Meia entrada: R$5,00 (cinco reais) - destinada a estudantes, idosos e associados Unimed.

 

Apresentação: GE Celma

Patrocínios: Casa Carlos, Thiamo, Unimed Petrópolis

Apoio: Academia Aeróbica, Capitólio Sushi Bar, Duda Fashion, Empório Multimix, Pousada Itararé, Renne Raibolt, Restaurante Kin Pai, Restaurante Rango Kilo, Restaurante Tradição Mineira, Prefeitura Municipal de Petrópolis, Fundação de Cultura e Turismo e Theatro Dom Pedro

Promoção: Comunicação Livre e Chroma Visual

 

Produção Local: Companhia Sekreta

 

FICHA TÉCNICA

Atores: Cláudio Gomide e Paulo Zanon

Texto: "Quem tem medo de Itália Fausta?" - De Miguel Magno e Ricardo Almeida - Livre adaptação do original por Cláudio Gomide e Paulo Zanon

Direção: Monah Delacy (http://www.monahdelacy.ato.br)

Iluminação: Aurélio de Simoni

Operador de Luz: Tiago de Jesus

Operador de Som: Alexandre Candú

Visagismo: Ricardo Tavares

Figurinos: Renata Pertot

Assistente de Figurino: Rita Zanon

Consultoria de Moda e Acessórios: Andréia Garrido

Confecção de Figurinos: Atelier Julia Vieira da Silveira

Sapatos: Fernando Pires

Camareira: Fátima Bauer

Direção de Cena: Alexandre Candú

Fotografias de Cena: Renee Raibolt

Assistente de Fotografia: Alessandra Amaral

 

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO – COMUNICAÇÃO LIVRE

Carla Coelho

carlacoelho03@comunicacaolivre.com.br

(24) 2231-9707/ (24) 9955-2730/ (21) 9278-0555




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE  
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS