Petrópolis, 05 de Março de 2021.
Matérias >> Eleições 2016
   
  Proposta dos candidatos a prefeito de Petrópolis para a área social

Data: 11/09/2016

 

Proposta dos candidatos a prefeito de Petrópolis para a área social

Os cinco candidatos a prefeito apresentam nessa edição propostas para cultura/esporte, habitação e segurança, entre outros

Rômulo Barroso - Romulobarroso@diariodepetropolis.com.br

 

Depois de expor as propostas para economia, educação e saúde, essa semana os cinco candidatos a prefeito vão tratar da área social. Bernardo Rossi (PMDB), Rubens Bomtempo (PSB), Yuri (PT), Vinicius Mayo (Psol) e Serginho de Corrêas (PSS) vão apresentar o que pensam para cultura e esporte/lazer, para habitação e para segurança. Eles ainda vão tratar de assistência social, descentralização de serviços, violência contra mulher e participação popular.

Bernardo Rossi

 

Para Bernardo Rossi, o acesso aos serviços públicos a todos os cidadãos é uma obrigação dos governos. E a inclusão de todos passa, necessariamente, por educação e alimentação.


– É obrigação do poder público garantir o acesso aos serviços públicos, ao desenvolvimento humano, à qualidade de vida e a todos os públicos. A inclusão passa, obrigatoriamente, pelo acesso à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, à habitação. Quando se fala em área social a inclusão tem de ser vista de forma global, de garantia de acesso, e não apenas ao básico, à alimentação e à educação. É preciso garantir o acesso a todos os cidadãos, em todas as áreas, sem distinção – analisou.


O candidato acha que o acompanhamento famílias carentes tem nos centros de referência em assistência social ferramentas importante e, por isso, quer fortalecê-los. Ainda na assistência social, quer reativar o programa “Cozinhas Comunitárias”.


– Os CRAS e CREAS são importantes instrumentos no acompanhamento das famílias carentes e por isso vou fortalecer e redimensionar a rede, principalmente nos distritos, disponibilizando novas unidades com a implementação de brinquedotecas. Também vou garantir e ampliar a política de segurança alimentar por meio do programa Cartão Imperial, do restaurante popular e reativar o programa “Cozinhas Comunitárias” nos bairros e distritos – disse.

Rubens Bomtempo

 

O candidato a reeleição disse que procurou sempre governar para aqueles que mais precisam do serviço público.
– O cuidado com as pessoas sempre foi uma marca do nosso governo. Administramos a cidade para todos, mas, principalmente, para aqueles que mais precisam do serviço público. Criamos uma ampla rede de garantia de direitos e vamos continuar trabalhando pelo seu fortalecimento, assegurando o direito à saúde, o direito ao trabalho, o direito à cultura, o direito à moradia, o direito à educação, o direito ao meio ambiente, o direito à participação, enfim, o direito à cidade – comentou.


Bomtempo ressaltou que o atendimento a pessoas em situação de rua passou a ter uma estrutura com a criação do Núcleo de Integração Social (NIS), do Centro POP e a implantação do Consultório de Rua. Outros programas na área de geração de renda e também em benefício das mulheres serão implantadas.
– Criamos o Cesta Cheia, Família Feliz, que foi abandonado na gestão passada e recriado, agora, em novos moldes, com o Cartão Compra Saudável. Agora, vamos ampliar o programa; consolidar a campanha Tenha Atitude; implantar o Botão do Pânico para mulheres vítimas de violência; e fomentar iniciativas para a economia criativa e estimular a economia solidária, ampliando o circuito de feiras para comercialização de produtos – afirmou.

Yuri

 

Yuri comentou que a efetivação da cidadania se dá a partir do momento em que o cidadão tem acesso aos direitos fundamentais – e que isso deve ser garantido pela prefeitura.


– O desenvolvimento pleno da cidadania passa pela perpetuação do acesso à Saúde, Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Assistência Social, Habitação e Trabalho. Assegurando a qualidade de vida, o convívio fraternal e a cultura da paz. A prefeitura precisa garantir direitos e as políticas sociais são fundamentais para isto – colocou.


Ele defende a descentralização dos serviços para as comunidades por meio de “núcleos administrativos regionais”.


– Todas as políticas públicas serão descentralizadas, chegando até as comunidades, por meio dos Centros de Cidadania e da Ouvidoria dos Bairros, que serão núcleos administrativos regionais junto dos PSFs, CEIs, Escolas e Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), garantindo a qualidade dos serviços públicos cotidianos – garantiu.

Vinicius Mayo

 

Para Vinicius Mayo, a cidade precisa tratar de maneira ampla a questão das pessoas em situação de rua e também dos dependentes químicos.


– Não podemos criminalizar as pessoas em situação de rua que precisam ser diretamente assistidas pelo poder público, onde é necessário entender as particularidades e necessidades de cada um. Da mesma forma, precisamos tratar a questão da dependência química como um problema de saúde e não de segurança, evitando arbítrios, coerções e violações dos direitos humanos. Os conselhos e secretarias municipais precisam ter um olhar sensível sobre estes temas – afirmou.


Outro ponto importante, na visão dele, é a questão da violência contra mulher. Na opinião dele, é necessário fortalecer o Cram e o protagonismo feminino na sociedade.


– Petrópolis apresenta índices alarmantes de violência contra a mulher. É necessário fortalecer o Centro de Referência de Atendimento a Mulher (Cram), além de políticas públicas com transversalidade em gênero, como a criação de parcerias com as escolas do município e universidades, onde se esclareça e fortaleça o protagonismo das mulheres e o combate a toda forma de opressão – disse.

Serginho de Corrêas

 

Serginho de Corrêas acredita que “nós temos muito ainda por fazer” por cultura, habitação e segurança.


– Nossa cultura é vazia com apenas apresentações fechadas, pouco divulgadas e para uma pequena parcela da população. Precisamos levar arte e cultura para as comunidades. Nossa segurança e nossa habitação por anos foram deixadas de lado com poucos investimentos. Assim, nós pretendemos "atacar" essas áreas com total responsabilidade dando uma melhor qualidade de vida para a população petropolitana – opinou.


Ele afirmou que vai promover participação popular nas questões da cidade, por exemplo, através do “Orçamento Participativo” e dar mais espaço para os conselhos municipais.


– Os Conselhos Municipais terão voz e vez, suas propostas serão analisadas e em comum acordo serão colocadas em prática. Teremos reuniões mensais e regionalizadas com as associações de moradores nas sedes de nossas administrações regionais, levando a prefeitura até o cidadão. Criaremos um canal de comunicação através de um aplicativo em que o cidadão poderá fazer suas denúncias de irregularidades como estacionamento irregular, lâmpadas queimadas, buracos em via pública, e mau atendimento nas repartições públicas – concluiu.

 

Área Social  

Bernardo Rossi (PMDB)

Rubens Bomtempo (PSB)

Yuri (PT)

Vinicius Mayo (Psol)

Serginho de Corrêas (PPS)

Cultura e Esporte/Lazer

“É preciso investir mais nos três setores. Vou revisar a lei do Plano Municipal de Cultura e promover programas de incentivo para investir em novas ações e atualizar nosso equipamento cultural, além da criação de novos, como a Arena Multiuso. Vou fortalecer o diálogo entre as políticas públicas para incentivar a iniciação esportiva, investir no esporte comunitário, estudantil e para a pessoa com deficiência e melhorar nossa infraestrutura pública”

“Fortalecer o calendário de eventos culturais, apoiar a criação de novos produtos turístico-culturais, ampliar o uso de espaços urbanos para eventos culturais (inclusive nos bairros), fomentar iniciativas de cultura popular e digitalizar parte do acervo histórico municipal. Continuar incentivando a prática esportiva, inclusive nas escolas, consolidando os Circuitos de Esporte e Lazer da Barão do Rio Branco e de Cascatinha, construindo e reformando quadras e criando um centro para a prática de esportes radicais de montanha no Parque da Ipiranga”

“Iremos criar o Bolsa Atleta Petrópolis, apoiando financeiramente nossos atletas amadores e profissionais que de se destacam nos diversos segmentos esportivos, junto de acompanhamento específico nas redes de saúde e educação do município. Também apostaremos na atividade física como saúde preventiva e, através do programa Praças de Saúde. Garantindo aulas semanais principalmente para os idosos e pessoas com deficiência. Faremos o mesmo com a Cultura, onde todas as praças, durante os finais de semana, terão manifestações culturais e artísticas”

“O incentivo ao esporte está relacionado a área da educação, além de desenvolver uma cultura para além do Centro Histórico, onde as escolas e praças dos bairros se transformem no lugar de referência para o lazer, as apresentações artísticas dos diferentes artistas do Município e a prática esportiva. O incentivo aos clubes de bairro tem papel fundamental neste repensar do esporte e cultura no Município, além de agregar e incentivar os atletas do paradesporto”

“Na área de cultura nossa primeira ação é desmembrá-la da "pasta" de turismo, dando mais autonomia de decisões em cada setor, onde daremos prioridade e atenção aos artistas petropolitanos. Na área de esporte e lazer, nossa meta é trazer uma das etapas do Campeonato de Estadual e Nacional de Motocross, construir mais pistas de skate, tanto nos distritos como na zona sul da cidade. Reformaremos todas as quadras e ampliaremos as academias ao ar livre nas comunidades, com aulas em parcerias com nossas universidades”

Habitação

“Realoquei 489 famílias de áreas de risco e 5.300 famílias estão recebendo o título de posse das casas, ações que darei continuidade expandindo a regularização fundiária e criando o Banco de Terras municipal com áreas adequadas para a construção de moradias seguras ao cidadão de baixa renda, que terá auxílio de profissionais da área. Vou realizar obras de urbanização nas comunidades sem infraestrutura e implantar o programa SOS Habitação voltado à prevenção”

“Quando assumimos, em 2013, trabalhamos para viabilizar a construção de casas populares por meio do programa Minha Casa, Minha Vida – Faixa 1. Conseguimos os terrenos, mas a crise do Governo Federal impediu a construção das unidades habitacionais. Vamos retomar a construção dos conjuntos habitacionais e dar sequência aos projetos do Minha Casa Minha Vida – Faixa 2. Também já emitimos títulos definitivos de propriedade para 830 famílias. Agora, vamos expandir o Programa de Regularização Fundiária, atendendo a mais de quatro mil famílias”

“Através do Programa Morar Bem, levaremos infraestrutura para as comunidades (contenções, muros e calçamento), requalificando as moradias e apoiando as obras populares com equipe técnica (engenheiros, arquitetos, etc) e o Cartão Morar Bem, que irá financiar a compra de materiais de construção, garantindo a segurança nas moradias e combatendo futuras tragédias. Também indenizaremos as famílias que recebem aluguel social, auxiliando através da compra assistida a conquista de suas habitações nos bairros onde preferirem morar”

“Queremos construir uma política habitacional voltada para a integração regional e o desenvolvimento comunitário. O objetivo é garantir mecanismos de regularização fundiária e controle da valorização da terra e priorizar a destinação das terras públicas do município para programas de moradia popular. Vamos criar medidas que permitam retirar do mercado o controle sobre o uso do solo urbano e regular o setor imobiliário para fortalecer o acesso à moradia pela camada econômica de baixa renda em áreas centrais da cidade”

“Hoje o déficit de unidades habitacionais é de 5.300 casas, dentre estas as casas da Posse. Nós pretendemos, durante o nosso governo, entregar pelo menos 2.000 casas em parceria com os governos estadual e federal e com a ajuda de cooperativas, dentro da meta do ‘Plano Local de Habitação’. Faremos a regularização fundiária das moradias fora da área de risco e estabeleceremos métodos de punibilidade para pessoas que comercializem bens imóveis em áreas de risco”

Segurança

“Vou ampliar o número de câmeras nas ruas e implantar a Central de Monitoramento unificada interligada às nossas câmeras e da iniciativa privada, proporcionado interação entre os órgãos de segurança. A Guarda Civil será valorizada e equipada com frota aparelhada, fardamento e material. Vou resgatar e fortalecer programas como Guarda Mirim e Comunitária, além de fortalecer na rede municipal de ensino a ronda escolar e o programa PROPAZ”

“A segurança pública continuará sendo uma preocupação do nosso governo, apesar de ser uma atribuição do Governo do Estado. A Guarda Civil Municipal ganhou uma nova sede, mais central, garantindo mais conforto aos servidores e agilidade no serviço. Vamos continuar trabalhando de mãos dadas às demais forças de segurança, com os guardas civis atuando de forma articulada com a PM e criando o novo Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), reunindo Guarda Civil, Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e concessionárias de serviços públicos”

“Fortaleceremos a Guarda Civil, assim como os seus destacamentos e grupos, equipamento e ampliando o seu efetivo. Explorando o caráter comunitário, de prevenção e mediação de conflitos e de defesa dos direitos humanos nos bairros da cidade. Além da reativação do Gabinente de Gestão Integrada Municipal – GGIM, que monitorará a segurança pública de forma integrada com as outras instituições, propondo um Plano Municipal de Segurança Pública”

“Implementar um novo modelo municipal de segurança pública, como foco na promoção da democracia, na garantia de direitos e na defesa das liberdades. Criação do CMSP (Conselho Municipal de Segurança Pública), com participação das comunidades; Agir mais na causa da violência do que na consequência, com políticas sociais inclusivas e parcerias com outras secretarias; interagir com as forças de segurança do Estado no sentido de um policiamento com mais inteligência e menos truculência”

“Nós iremos criar um programa amplo de formação continuada da Guarda Civil, enfatizando seu potencial gestor. Buscaremos recursos para implantação e melhorias do monitoramento por câmeras em todo o Centro Histórico e nas entradas e saídas da cidade utilizando câmeras de OCR que identificam as placas de carros, todo esse processo contaremos com o apoio das policias civil e militar. Daremos estrutura e apoio ao canil de cães farejadores para ajudar no combate ao tráfico de drogas e na busca vítimas de desastres”

Os textos com as propostas foram enviados pelas assessorias dos candidatos




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS