Petrópolis, 28 de Setembro de 2022.
Matérias >> Artigos
   
  ‘De poderosos, reação toma vulto’, diz Deltan

Data: 16/09/2016

 

‘De poderosos, reação toma vulto’, diz Deltan

 
• Associação Nacional dos Procuradores repudiou o que chamou de ‘deturpação de esclarecimentos’
 
É natural que investigados reajam. Vamos continuar com serenidade e equilíbrio Deltan Dallagnol Procurador da República
 
Cleide Carvalho e Renato Grandelle - O Globo
 
-CURITIBA E RIO- O procurador Deltan Dallagnol minimizou a reação de Lula em relação à denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, anteontem, contra o ex-presidente, acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Em palestra na Semana da Democracia, evento realizado em Curitiba, Dallagnol voltou a rebater as críticas de que a investigação é partidarizada, ao afirmar que a Lava-Jato tem mais de 300 pessoas envolvidas, técnicas e concursadas, e que são apenas “pais de família” fazendo o seu trabalho.
 
— É natural que as pessoas investigadas reajam. Isto não nos surpreende, encaramos com naturalidade. E quando essas pessoas são poderosas, econômica e politicamente, a reação toma vulto. Vamos continuar caminhando com serenidade e equilíbrio — afirmou o procurador.
 
Dallagnol comparou a reação às mesmas que ocorreram após a 7ª Fase da Lava-Jato, que levou à prisão executivos das principais empreiteiras do país.
 
— Naquela época, a reação foi dizer que estávamos cometendo uma série de abusos, excessos, e que não tinha nenhum crime por parte dos empresários — recordou o procurador, acrescentando que as empresas passaram afirmar que foram vítimas de extorsão: — É uma estratégia de comunicação.
 
O procurador afirmou que o mesmo se repetiu quando a Lava-Jato atingiu as empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez, quando a imprensa foi chamada por executivos para dizer que os procuradores tinham apenas indícios e presunções, sem provas. Na época, Dallagnol rebateu afirmando que a Lava-Jato já tinha provas de depósitos feitos pelas empreiteiras no exterior, em contas de executivos da Petrobras que haviam sido corrompidos e que reconheceram ter recebido propina.
 
Em nota, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) repudiou o que classificou como “deturpação de alguns dos esclarecimentos prestados pelos procuradores da Lava Jato”, na apresentação da denúncia contra Lula. A ANPR afirmou que “não se configura legítima qualquer manipulação ou deturpação de frases ditas no exercício do dever de esclarecimento à população” e que “configura-se discurso político e/ou em estratégia de defesa, sem compromisso com a verdade, deturpar falas dos procuradores da República”.
 
Ainda ontem, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), afirmou que o ex-presidente Lula repete um “equívoco recorrente” do PT de “vitimização”:
 
— Não há o mea-culpa, a grandeza de compreender que cometeram equívocos graves e ilegalidades
 
O senador estava acompanhado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que não comentou a denúncia do MP e disse que Lula “passa por um momento difícil”:
 
— Ele está desabafando. Eu lamento sinceramente que uma pessoa com sua trajetória chegue a este momento de dificuldade.



 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS