Petrópolis, 28 de Setembro de 2022.
Matérias >> Artigos
   
  Conselhos Populares

Data: 23/06/2014

 

 

Conselhos Populares
 
Diário de Petrópolis, Segunda-feira, 23 de junho de 2014
 

O decreto da presidente Dilma que cria conselhos, nos moldes da antiga União Soviética ou das revoluções bolivaristas não pode ser aceito de modo nenhum pelo congresso ou pelo Supremo Tribunal Federal. O Decreto 8243 de 2013 estabelece a “Política Nacional de Participação Social” (PNPS) e o “Sistema Nacional de Participação Social”. Pelo decreto todos os órgãos de administração direta e indireta deverão ter conselhos populares.

Não bastasse a ânsia do Partido dos Trabalhadores em controlar a mídia, se dizendo perseguido, agora querem impedir a democracia. Num país em que 65 por cento de tudo que se arrecada fica com o governo federal, os estados recebem 22 por cento e os municípios ficam com somente 13 por cento, mesmo tendo de municipalizar a saúde e a educação, todos ficamos dependentes totalmente do poder central.

Governadores e prefeitos de pires na mão ajoelhados, pedindo verbas, mesmo sabendo que todo o dinheiro é gerado nas cidades. O Decreto da Dona Dilma colocaria movimentos sociais e ONGs financiadas com dinheiro público como massa de manobra do partido dos trabalhadores, em estatais e projetos do governo, como o de controlar a imprensa no Brasil. O todo poderoso Sr. Gilberto de Carvalho secretário geral do PT, contra dizendo o Sr. Lula da Silva, disse: “não tinha só elite branca nos protestos contra a presidente na abertura da copa do mundo”. “Esse cacete diário que não enfrentamos a corrupção que somos um bando de aventureiros que veio aqui para se locupletar, essa história pegou. Na classe media e vai gotejando, vai descendo para as outras classes” Falou isso num encontro para defender o PT, nas redes sociais. Esqueceu de dizer das ameaças ao presidente do Supremo Joaquim Barbosa, do roubo na refinaria de Pasadena na Califórnia, na de Abreu Lima no nordeste, nos 23 milhões de dólares numa conta na suíça do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, no “Mensalão” dos camaradas José Dirceu e Genoíno, nos 30 mil cargos de confiança de nomeação direta. No programa “Mais Médicos” que trouxe cubanos para Petrópolis e serve para  dar dinheiro e salvar a falida ditadura de Cuba. No porto de Mariel financiado pelo BNDES na ilha de Fidel e que não trará vantagem para os brasileiros. Nas dívidas perdoadas dos ditadores Africanos. Nos bilhões gastos nos estádios da copa, no roubo nos correios, etc. Sem falar nos cinco meses de salários tirados dos brasileiros, que não recebem bolsas, e entregues de bandeja ao governo federal, para continuarem a não ter o direito à saúde e educação, tendo de pagar planos de saúde e colégios particulares. E a segurança? Para que termos 40 ministérios? Só servem para comprar apoio político, colocar companheiros despreparados e gastar dinheiro dos contribuintes.  Do orçamento do Brasil de R$ 2,488 trilhões de reais, sobram 4 % para a saúde e 44 % para pagamentos de serviços da dívida do governo e juros. Como o estado brasileiro gasta mais do que arrecada, cabe a nós cidadãos pagarmos o mau uso e o desvio do dinheiro público. O fantasma da inflação está voltando e infelizmente é muito mais catastrófico para quem ganha menos. Ou seja: para os que têm menos educação e, portanto são mais pobres. Justamente os que ainda apoiam a dona Dilma. A mentira tem pernas curtas. Dona Dilma disse que 36 milhões de brasileiros deixaram a miséria. A conta certa é 8,4 milhões. Ninguém mais acredita nos índices oficiais de inflação. Pelo menos quem faz compra em supermercados.  

A música da FIFA,  (“we are one”) que diz que “todos somos um”, pode servir para Cuba, e a antiga Albânia. Democracia é alternância de poder. È divergir para melhorar.  Os jovens de 16 a 18 anos não querem tirar o título de eleitor, desiludidos com o que esta aí. Nós mais velhos, ainda temos esperança.  O Brasil é verde e amarelo, jamais será vermelho.

 

Mauro Peralta

www.casadomedicodepetropolis.com.br




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS