Petrópolis, 01 de Fevereiro de 2023.
Matérias >> Poder Executivo Mun. >> Infraestrutura
   
  Lixo de seis municípios vai para Três Rios

Data: 14/06/2010

Lixo de seis municípios vai para Três Rios

 

 

            Aprovado pela Câmara de Vereadores no ano passado, o Consórcio Público de Gestão Associada e Integrada de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Serrana III, que cria o Aterro de Lixo em Três Rios, só deve ser inaugurado em agosto de 2011. A previsão inicial era para estar funcionando ainda neste mês, porém, segundo o Secretário de Meio Ambiente de Três Rios, Thiago Vila Verde, o processo de escolha do terreno foi demorado. “Tínhamos que respeitar questões ambientais. Realizar um estudo locacional, isso leva tempo”, comentou.

            O consórcio é composto por seis municípios: Três Rios, Petrópolis, Areal, Levy Gasparian, Paraíba do Sul e Sapucaia. Atualmente, todo o lixo produzido na cidade é despejado no aterro de Pedro do Rio, que deverá ser desativado após a instalação do novo aterro sanitário. Segundo Thiago, o local escolhido tem previsão de vida útil de 30 anos, suportando sete vezes a capacidade do “lixão” de Pedro do Rio. O terreno fica na entrada da cidade, no Km-169 da BR-393, conhecida como Rodovia do Aço.

 

Maior produtor de lixo

 

         Entre as seis cidades participantes do consórcio, Petrópolis é a que mais produz lixo, são cerca de 250 toneladas por dia. Três Rios está em segundo lugar, são 70. Paraíba do Sul ostenta a terceira posição, com uma produção diária de 25 toneladas. Sapucaia, Levy Gasparian e Areal somam juntas cerca de 35. De acordo com Thiago, um indivíduo gera por dia 800 gramas de lixo.

            Utilizar o aterro sanitário de Três Rios vai gerar despesas para os municípios participantes do consórcio. Estima-se que cada caminhão que chegar ao aterro precisará pagar R$ 35 por tonelada. Nos primeiros cinco anos, o governo do Estado irá auxiliar Petrópolis, pagando R$ 20. Além disso, o consórcio ainda auxilia os municípios quanto à desativação dos aterros já existentes, como o caso do aterro de Pedro do Rio. De acordo com Thiago, os valores ainda não estão fechados e vai depender de cada município a economia com a utilização do aterro. “Se cada cidade desenvolver um trabalho de coleta seletiva, o lixo que será enviado será menor, proporcionando assim uma diminuição nas despesas. Vai depender de cada política aplicada nas cidades integrantes do consórcio”, disse.

Em junho de 2012, expira a licença do aterro sanitário de Pedro do Rio. Fundado em 1997, sua área é de 275 mil metros quadrados, onde são produzidos mais de 750m³ por hora de gás. O local abrigava anteriormente uma fazenda.

 

 

 

Fonte: Tribuna de Petrópolis, 13 de junho de 2010.




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS