Petrópolis, 24 de Agosto de 2019.
Matérias >> Gestão Participativa e Transparência
   
  Parabéns Petrópolis. Será que podemos comemorar?

Data: 17/03/2011

Parabéns Petrópolis. Será que podemos comemorar?

 

 

 

Com o aniversário de nossa tradicional e Imperial cidade de Petrópolis que, não sei bem se podemos comemorar com todos os seus méritos, estamos completando um ano de reivindicações, solicitações, denúncias para os problemas daquela que é considerada  pela Prefeitura de Petrópolis, a "tradicional feira livre" em pleno Centro histórico, em meio a um caos diário, com trânsito conturbado, pessoas pelas ruas colocando suas vidas em risco, barracas de feira espalhadas pelas calçadas, total falta de higiene e falta de cuidado com o manuseio dos alimentos comercializados na referida feira, animais que urinam no local, vagabundos,  estacionamentos irregulares, caminhões de carga estacionados em locais proibidos, comercialização de produtos de forma ao que parece ilegal, com provável sonegação de impostos em plena rua, no decorrer da semana, aos olhos de uma fiscalização que não exerce seu papel legal, sabe lá por que motivos...

 

Uma verdadeira falta de controle urbano, desrespeito ao cidadão, falta de fiscalização de posturas, vigilância sanitária e tantas outras situações irregulares sem nenhuma ação de controle, choque de ordem ou simplesmente o cumprimento do código de posturas municipais.

             

Com tantos problemas vividos por nossa cidade nestes últimos meses, nada justifica a ausência de solução para o abuso de alguns feirantes que descumprem às leis, desrespeitam os contribuintes, empresários, moradores, proprietários, transformando aquela tradicional e histórica rua do Centro Histórico, a rua Visconde de Souza Franco, cujo seus imóveis são tombados pelo Patrimonio Histórico Nacional, via de importância turistica pelos seus casarios e acesso dos mais importantes para talvez o único polo gerador de emprego e turismo de nossa cidade que é a Rua Teresa, num depósito de sugeira, caixas de madeira, restos de alimentos, barracas, depósito de alimentos que são comercializados durante toda a semana, lixo, carrinhos de carga marrados em correntes nos balaustres tombados pelo patrimonio histórico, etc...

 

Reparem nas fotografias em anexo que nada justifica permitir aquela bandalha em plena rua do Centro Histórico.

 

A Prefeitura de Petrópolis, a Secretaria de  Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Agricultura, a Secretaria de Saúde, a Secretaria de Meio Ambiente e demais responsáveis, jamais demonstraram uma postura técnica, profissional, conceitual, normativa e de dever por obrigação na intimação legal da retirada e aplicação da lei para os feirantes infratores.

 

Por que?


O Grupo Observadores da Comunidade, acredita que, possamos ser atendidos em gesto de respeito e de dignidade para com aqueles que estão sendo prejudicados em seus comércios, empresas, negócios, igrejas, propriedades, imóveis, escolas e tudo mais, durante tanto tempo de omissão do poder público.

 

Não desejamos que, durante mais um ano estejamos nos desgastando com mais solicitações, denuncias, apelos que são divididos com vários seguimentos, comunidade em geral, instituições, imprensa e orgãos governamentais e, até mesmo, extrapolando nosso município de tantas tradições históricas.

 

Cabe ressaltar que durante todo este ano , todos os nossos vereadores também receberam estas denúncias e,  em nenhum momento, agiram em defesa da comunidade que os elegeu e  sofre com a falta de ação da Prefeitura Municipal de Petrópolis, o que também consideramos lamentável.

 

Como afirmamos em vários manifestos, antes de se praticar uma mudança do local da feira livre do Centro Histórico, o que desejamos de imediato é o respeito às leis, com retirada imediata das mercadorias, caixas, barracas, lonas, tralhas e proibição do que foi transformado o local em depósito irregular dos feirantes e comercializão dos produtos ao ar livre durante  a semana, sem considerar a total desordem do controle do trânsito no local com veículos em fila dupla, com estacionamento irregular, colocando em risco de vida dos pedestres, ainda assim, entendemos que uma cidade com moderna e competente administração, deve reservar um espaço próprio, com conforto, higiene, banheiros, estacionamento, segurança conforme vários exemplos de cidades em que o poder público respeita o cidadão que os elege.

 

 

Agradecemos a imprensa do município de Petrópolis que sempre demonstrou atenção e reservou  espaço para as demandas justas, claras, objetivas que estão aos olhos de qualquer cidadão que tenha visão.

 

Não vamos cessar nossos pleitos enquanto não houver da Prefeitura de Petrópolis uma resposta clara, objetiva de ação e choque de ordem no local que hoje é "terra de ninguém".

 

Vergonha.

 

Parabéns Petrópolis, lamentamos pelos seus administradores que não nos mostram ações competentes.

 

 

GRUPO OBSERVADORES COMUNITÁRIOS

 




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS