Petrópolis, 14 de Outubro de 2019.
Matérias >> IPGPar: Plano Estratégico de Petrópolis >> GT1 - Urbanismo e Infraestrutura
   
  Moradores do Quitandinha temem que projeto pode descaracterizar entrada da cidade

Data: 07/09/2019

 

Moradores do Quitandinha temem que projeto pode descaracterizar entrada da cidade 

Tribuna de Petrópolis

 

Projeto

 de mudança na Lei de Uso Parcelamento e Ocupação do Solo (Lupos) para permitir um empreendimento na Avenida Ayrton Senna será discutido em audiência pública, conforme pedido Associação de Moradores do Conjunto do Patrimônio Arquitetônico Paisagístico do Hotel Quitandinha (AMOPAQ). Dois representantes dos moradores tiveram uma reunião com alguns vereadores, quando apresentaram a preocupação com a descaraterização da entrada da cidade e com os transtornos que podem acontecer com o andamento da obra e após a inauguração do empreendimento.

Os vereadores Marcelo da Silveira, Leandro Azevedo, Marcelo Lessa e a vereadores Gilda Beatriz manifestaram preocupação a partir dos argumentos apresentados pelos representantes dos moradores e por isso decidiram atender o pedido para uma audiência pública. A reunião foi acompanhada também por um representante do vereador Hingo Hammes.

A vereadora Gilda Beatriz afirmou que não é contra o desenvolvimento da cidade e muito menos da geração de emprego, mas chamou atenção para necessidade de planejamento. A vereadora lembrou que a liberação do empreendimento vai contra uma definição do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e afirmou a importância do debate amplo do tema, considerando as características da localidade.

O encontro com os vereadores aconteceu na sala das comissões e o objetivo foi discutir as inconsistências do projeto de lei que “Altera o zoneamento da Avenida Ayrton Senna, no bairro do Quitandinha. Para os representantes da Associação, o projeto confronta com o objeto de ação civil pública na 4° Vara Cível, tendo em vista a sensibilidade do tema que envolve a descaracterização da entrada da cidade de Petrópolis, e a tentativa de mudança da Lupos. Para os representantes da Associação, o projeto de lei foi elaborado para atividade comercial que atende interesse de um empreendedor específico, “e é incompatível com o ato de tombamento do Palácio Quitandinha e, ressaltamos, totalmente incompatível com a Lupos”, disse Marcio Jesus MacCulloch. 



Fotos:
DADOS MUNICIPAIS
Divulgação PM


 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS