Petrópolis, 05 de Dezembro de 2019.
Matérias >> Artigos
   
  Petrópolis perde mais um ano - Bernardo Filho

Data: 24/11/2019

 

Petrópolis perde mais um ano

Bernardo Filho - Advogado e Jornalista

 

Finalizamos novembro e praticamente o ano acabou. A partir de agora nossa atenção se volta para os eventos de final de ano. Vale então fazer alguns comentários sobre os três primeiros anos de governo no nosso Município.

A primeira coisa que se notou este ano foi a continuidade da falta de diálogo com a população. O governo se mostra cansado em tentar um diálogo com o povo e sem paciência até para com seu secretariado, que se submete a isto e deixa de produzir.

Para fazer festas, existe vontade e fazem. Agora, fazer festa e deixar faltar insumos no Hospital Alcides Carneiro, a ponto de ficarem suspensas cirurgias e obrigar a transferência de cirurgias sérias marcadas, mostra mais uma vez descompromisso. Outrossim, fazer festas sem planejamento de trânsito também é outro problema recorrente (quinta-feira passada a cidade parou por conta da abertura do Natal Imperial), inclusive permitindo a frota que acompanhou o Governador, estacionar no pátio do Palácio de Cristal, parece piada, mas isto foi sério; aliás, o prometido projeto de mobilidade até hoje não aconteceu.

Mais uma vez não tivemos, nem diálogo nem compromisso. Talvez esta, a tônica principal do ano.

Note-se que nas redes sociais não há defesas contundentes dos atos de governo. Apenas alguns pouco comissionados, tentam valorizar realizações do Prefeito. Ninguém vê um secretário de governo defender a gestão nas redes sociais. É um grupo, cuja fidelidade é altamente questionável.

Curiosamente, hoje o prefeito não tem ainda adversários para disputar contra ele as eleições do ano que vem. Existem ensaios de candidatos, mas ainda de forma insipiente. Portanto, há um ano da eleição, não temos uma dicotomia apesar de vivermos uma administração pública fraca.

A necessidade de planejamento a futuro foi esquecida e relegada, assim como o básico de gestão municipal (manutenção e limpeza) também deixado de lado. Não há na Cidade uma visão de conjunto. Temos sim, uma visão segmentada e mal conduzida.

A quem o prefeito escuta? O núcleo duro da prefeitura reúne três nomes, que fazem uma posição de proteção entre si, que conversam entre si, sem escutar os demais. As relações se enfraqueceram e enfraqueceram a governança.

Não há transferências de responsabilidades por falta de confiança, o que é compreensível, até certo ponto. As escolhas talvez não tenham sido as melhores e hoje o preço é cobrado. Em três anos, nada fez de relevância. Pequenas realizações pontuais aqui e ali, mas nada até agora, que marcasse positivamente, de forma contundente e louvável, esta administração.

Se fará ano que vem, ano de eleição, talvez. E dirá, herdamos uma herança maldita que levamos 3 anos para resolver e só conseguimos fazer algo neste quarto ano. Discurso para lá de velho e batido. Vai colar? Não sei. O povo que o diga.

Não foi um ano bom para Petrópolis e para sua população. Mas, como sou um otimista, torço com todas as minhas forças, por uma Petrópolis melhor.




 

 

DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS