Petrópolis, 18 de Novembro de 2019.
Matérias >> Artigos
   
  Extremos opostos - Paulo Marambaia

Data: 10/10/2019

 

Extremos opostos

Paulo Marabaia - Radialista


Nas mãos dos eleitores do centro, que representam mais da metade dos votantes, como mostram sucessivas pesquisas do Data Folha, estão o caminho nas próximas eleições municipais por todo o Brasil. E as eleições municipais, em cidades médias, como Petrópolis, e gigantes como as capitais, é que darão o norte para as eleições presidenciais em 2022.

Hoje, os brasileiros que produzem em todos os setores, e que não estão agarrados em qualquer corporativismo, sentem na pele, pois pagam tudo que lhes é cobrado, o quanto está sendo difícil nos últimos anos, estar sob a política dos Extremos Opostos.

Os dois lados, esquerda e direita, têm razão em tudo, seus seguidores estão cegos e surdos para qualquer diálogo, só pensam no poder pelo poder, só veem inimigos por todos os lados e não conseguem tocar o país para frente, abrindo portas para soluções democráticas que atenderiam a grande massa, aos formuladores de opinião, aos bons empresários que carregam o país nas costas, o respeito aos desígnios e o desespero a cargos vitalícios.

Aqui em nossa querida Petrópolis, podemos, todos juntos, ouvir os futuros candidatos com suas propostas mentirosas, mágicas, mas também aprendemos que a novidade não traz a experiência que tanto precisamos, políticos testados e com ficha limpa, com propostas de centro deverão merecer a nossa atenção, se vierem com propostas factíveis com o orçamento que temos e com o compromisso de cortar em pelo menos 30% dos gastos com a máquina pública, 70% dos aluguéis e diminuir o famoso e constitucional repasse ao Legislativo tido como legal, mas muito acima do que precisam, sobrando mais dinheiro para nossa gente miserável e fazendo com que o Legislativo demonstre, nos próximos anos, que pode muito bem sobreviver com menor repasse, pois nos últimos anos, com a fartura de dinheiro, alguns só souberam saquear - alguns, hoje, com dinheiro do povo pagam rios de dinheiro a grandes bancas de advogados criminalistas da capital para se livrar só problemas com a polícia e a Justiça. Quiseram imitar Brasília e deu no que deu.

Os petropolitanos de bem, com ficha limpa, que ao longo do tempo demonstraram serviço à cidade, têm a obrigação de se apresentar e mostrar suas propostas, diferentes do que aí está. Viva Petrópolis!!!.

 



 

 

Área do Município: 791.144 km² (2018)
População estimada (2019): 306.191 habitantes (97,4% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2010): 371,85 habitantes/km²
PIB (2016): R$ 12.690.967.000,00 (R$ 42.564,57 per capta)
IDH Mun. (2010): 0,745 (13º/92 no RJ) - Mort. Infantil: 10,97 óbitos/mil nasc. (2017)
Fonte: IBGE
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS