Petrópolis, 14 de Outubro de 2019.
Matérias >> Artigos
   
  Tarefa difícil - Bernardo Filho

Data: 29/09/2019

 

Tarefa difícil

Bernardo Filho - Advogado e Jornalista

 

Estamos há um ano das próximas eleições. Ano que vem, em outubro, vamos escolher quem será o próximo prefeito para os quatro anos seguintes e quem serão os vereadores.

Ainda uma questão não está resolvida: qual será o número de vereadores, se permanecerá em 15 ou teremos um aumento de cadeiras para 21 ou 23.

Face aos acontecimentos lamentáveis, tais como o afastamento de dois presidentes e de 5 vereadores, bem como o abandono pela Casa Amarela, (que sempre foi a casa do povo) da população e de seus anseios, um aumento de número neste momento não agrada nem um pouco o eleitorado. Esta questão é vista como mais uma autoproteção de mandatos e falta de coragem de participar em uma disputa mais acirrada por uma vaga.

A lei permite (não obriga) este aumento de número, ou seja, é um fato legal, mas por outro lado, não há nada que justifique, aqui em nosso Município, este crescimento desnecessário; o argumento de aumentar a participação bem como melhorar a fiscalização e analisar atos do governo é falacioso.

Outrossim, alegam os defensores do aumento, que não haverá aumentos de despesas já que o percentual de 5% da arrecadação do Município, destinado ao legislativo municipal será o mesmo, seja com 15 com 21 ou com 23. Como se isto fosse uma justificativa digna de aplausos.

É uma tarefa hercúlea, encontrar um cidadão satisfeito com o desempenho de nossos edis de uma forma geral, onde poucos, muito poucos, fazem seu trabalho se destacar dos demais. Por este motivo, a renovação de nomes tende a ser maior que nos dois últimos pleitos quando foi de 33,33%. Dos 15 dois terços (10) se reelegeram. O esperado para o ano que vem é de mais de 50% de renovação, daí o esforço em defender a elevação do número de cadeiras.

A estimativa é de que, com 23 vagas a renovação se mantenha em algo em torno de 30%, com 21 vagas em 40% e com 15 vagas 50%.

Para aqueles que gostariam de uma renovação maior, apenas digo que este é um processo mais longo e de uma maior conscientização da população. Quando perto de 60% dos eleitores decidem seu voto no dia da eleição poderemos novamente vivenciar outra eleição atípica e diferenciada.

O importante é, que fique claro para a população, que não há a menor vantagem no aumento do número de vereadores. A Cidade, tampouco seus cidadãos, precisam disto neste momento e nada ganham com isto.

 




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS