Petrópolis, 14 de Outubro de 2019.
Matérias >> Artigos
   
  A deputada e a família - Gastão Reis

Data: 14/09/2019

 

A deputada e a família 

Gastão Reis - Empresário e Economista


A deputada federal, reeleita pelo PT do Distrito Federal, Erica Kokay gravou um vídeo em que a desinformação e a má-fé se dão as mãos. É também uma mensagem ideológica alucinada. Em palestra no Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Paraná, ela proferiu asneiras em série. Se ainda fosse num sindicato de deseducação, ainda poderia fazer algum sentido...

Ela se reporta à obra de Engels, A origem da família, da propriedade privada e do Estado, para informar à plateia que a família patriarcal é o esteio da sociedade de classes.Destruída a família patriarcal, se destrói a propriedade privada e a própria sociedade de classes. Só assim é possível surgir, segundo ela, uma anarquia, que vai então gerar uma sociedade incestuosa. E então se poria abaixo um tabu universal – o incesto. A ideologia de gênero nada mais é do que o instrumento para a destruição da família, que fará nascer essa nova sociedade anárquica e incestuosa que se opõe ao acúmulo de capital da família patriarcal, base do capitalismo. Pelo jeito, estaríamos diante do portal do paraíso nessa nova sociedade igualitária, incestuosa e sem capital.

A primeira idiotice tamanho família é a questão do incesto. Ela mesmo reconhece que se trata de um tabu universal. Ou seja, em todas as épocas e lugares, ele está lá. Em sua visão, trata-se apenas de um preconceito a ser incinerado. Está mais que comprovado que famílias que se casam entre si acabam por produzir filhos com problemas de degeneração física e até mental. É o problema, velho como Matusalém, da consanguinidade. Afeta inclusive os animais, gerando, entre outros problemas sérios, baixa resistência às infecções e doenças. Ela está defendendo uma proposta de degeneração da raça humana!

A segunda estultice é a defesa da ideologia de gênero. O sexo não estaria geneticamente definido. Tratar-se-ia de uma escolha pessoal de cada um. Logo, ninguém nasceria menino ou menina. Seria uma imposição cultural. Pesquisas e estudos comprovam o absurdo dessa afirmação. Um simples exemplo ilustra o equívoco. Pesquisadores deram bonecas a garotos e armas a meninas. Naturalmente, houve uma troca: as meninas preferindo brincar com bonecas e os meninos, com armas. Ponto final.

A terceira asneira é quando ela diz que a sociedade anárquica e incestuosa se oporia ao acúmulo de capital, origem das diferenças de renda e riqueza entre as pessoas. Ela só se esqueceu que é também a fonte de onde vem os recursos para uma sociedade investir e se desenvolver. E assim permitir a melhoria do padrão de vida de todos ao longo do tempo. Isso seria a receita para destruir não só a família patriarcal, mas a própria sociedade. Aliás, um trabalho em que a patota PT se saiu muito bem quando meteu a mão em fundos de pensão dos próprios trabalhadores!

Se juntarmos mais duas letras, “na”, ao sobrenome Kokay da deputada, e nos lembrarmos que a letra “y”, na velha grafia, fazia o papel da vogal “i” com acento agudo, dá para entender o estado mental de que estava possuída a deputada Erica. Só assim é possível compreender o assassinato da razão e do bom senso cometido por ela diante de uma plateia de trabalhadores em educação a quem ela deveria respeitar. E não enganar.

 

gastaoreis@smart30.com. br // ou gaastaoreis2@gmail. com




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS