Petrópolis, 19 de Dezembro de 2018.
Matérias >> Artigos
   
  AS PRIMAVERAS DE PETRÓPOLIS - Philippe Guédon

Data: 11/11/2018

 

AS PRIMAVERAS DE PETRÓPOLIS

Philippe Guédon *

 

            É hora de pensarmos na Petrópolis que pode sair renovada das urnas em 2020. Vá que eu não a veja, mas posso ajudar a prepará-la.

            Teremos duas opções: uma, continuar tutelados por mais um “plano de governo” quadrienal, tão sem eira nem beira quanto os precedentes, bolado por um dos partidos que saem da hibernação quadrienal a ditar como será Petrópolis e quem poderá ser candidato. O Povo terá direito à nova leva de prefeito, vice e edis atraída pelo maná que ainda chove nas mesas palacianas, decidida a desfrutar do bem bom e a empurrar os problemas para os sucessores assim como vem sendo feito há décadas. Cada qual passa adiante a bola de neve acrescida das novas burradas, mais taxas, juros e correção monetária, sabendo de cor e salteado que a conta final será apresentada ao Povo, sobre os escombros municipais. A mídia nem ficará sabendo, dado o sucateamento dos acessos: ferrovia, BR-040 e NSS do Túnel-mãe da Voçoroca, Serra Velha, União e Indústria e até Itaipava-Teresópolis. As incompetências sucessivas no Executivo e no Legislativo terão produzido algumas fortunas e uma imensa miséria geral. Teremos rolado ribanceira abaixo até o fundo. Mas, ufa!, temos alternativa.

            Há uma segunda opção, que só depende do Povo. Que já a conheceu quando da 1ª Primavera de Petrópolis, essa doce lembrança proporcionada por Paulo Rattes ao comandar anos de pioneira gestão participativa. Lembram os veteranos das associações de moradores, do CAMPE-FAMPE, dos três primeiros Conselhos. Até que Paulo, líder inconteste, fosse picado por mosca azul, que azar, um pouco antes do Povo aprender a caminhar sem o apoio de braço forte. E instalou-se a mediocridade, com breves lampejos: a eficácia de Gratacós,  a LUPOS de Leandro (abastardada pela Câmara), o orçamento participativo de Rubens, o diálogo fácil da equipe Mustrangi, e pouco mais. Se queremos resgatar a nossa Primavera, chegou a hora de semear.

            A 2ª Primavera de Petrópolis é viável, nascerá das pessoas. Ao Povo cabe criar, liderar e executar a faina; partidos podem se somar se respeitarem a liderança do Povo. Chutemos para longe os planos de governo impostos por uma visão feudal da administração pública. Temos que elaborar o plano estratégico municipal (cobrindo 20 anos, 5 mandatos), com recurso à internet, sites e redes. Todo o poder emana do Povo, estamos esperando o quê? A 1ª das cinco etapas do plano estratégico será o “plano de governo do Povo”; o Povo dirá para onde quer ir aos candidatos a administradores, e não o inverso. Simples assim. Lógico assim.

            As candidaturas avulsas serão acolhidas por estarem previstas em Lei, ora só embarreiradas. Se não o forem antes de 2020, ou se forem inviabilizadas por exigências como a nossa Câmara adora impor às emendas do Povo, poderemos recorrer às candidaturas-cidadãs ou às coletivas. Essas formas já contam com o apoio da Rede, PSoL, Podemos, NOVO e até do PSB em Sta. Catarina; dá para avançar muito.

            Se você quer ajudar nesta onda popular, informe seu email para dadosmunicipais@gmail.com. Você não ficará de fora da 2ª Primavera. Estudantes, veteranos da 1ª Primavera, Igrejas, moradores, cidadãs/aos, Povo: por favor, assumam!

 

 

* Coordenador da Frente Pró-Petrópolis - FPP




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE  
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS