Petrópolis, 25 de Março de 2019.
Matérias >> Frente Pró-Petrópolis >> Reuniões e Eventos
   
  Exposição lembra, com fotos e recortes de jornal, a tragédia de 12 de janeiro

Data: 17/01/2012

 

A exposição Luzes e Sombras, lembrando um ano da tragédia que atingiu a cidade em janeiro de 2011, promovida pela Frente Pró-Petrópolis (movimento que reúne 47 entidades da sociedade civil) foi inaugurada ontem, no Salão Nobre da Universidade Católica de Petrópolis (UCP), em clima de muita emoção. As imagens da tragédia mostradas durante a solenidade tiraram o fôlego dos cerca de 50 moradores da região do Vale do Cuiabá, Madame Machado e Estrada do Gentio – localidades atingidas pelo temporal – que participavam do evento.
O aposentado Almir Furtado dos Reis, de 62 anos, chorou ao ver as imagens do local onde antes estava localizada a sua casa, no Vale do Cuiabá. “As cicatrizes nunca serão apagadas. Tem dias que nem sei o que fazer, é muita dor”, disse. Na noite da tragédia, Almir perdeu 13 pessoas da sua família. Filhos, esposa, netos e sobrinhos foram levados pela correnteza de lama. Apenas dois filhos sobreviveram. “Fomos todos arrastados pela enxurrada. Eu consegui me salvar, me segurando em pedaços de entulho, mas o resto da minha família foi levado pela água”, lembrou.
Em meio a lágrimas, Almir lembra como foi encontrado o corpo de um dos filhos e do sobrinho, de apenas cinco anos. Para ele, a lembrança mais triste e comovente. “Eles foram encontrados em Madame Machado, abraçados. Os bombeiros tiveram que quebrar os braços deles para separar os corpos. Eu sabia que seriam encontrados juntos. Um adorava o outro”, contou.
Vestidos de preto, os moradores levaram faixas e cartazes para a solenidade. Eles também entregaram uma carta ao presidente do Comitê de Ações Emergenciais, Luiz Eduardo Peixoto (que representou o prefeito Paulo Mustrangi durante a solenidade), solicitando ao governo que institua 12 de janeiro como o dia municipal em memória das vítimas de acidentes climáticos e dia da prevenção de desastres naturais. A ausência do prefeito causou protestos por parte dos moradores. Eles esperavam que respostas sobre as construções das casas populares, sobre o aluguel social e as indenizações fossem respondidas.

 

Luzes e Sombras: reportagens e fotos

Cerca de 150 pessoas participaram da abertura da mostra Luzes e Sombras, promovida pela Frente Pró-Petrópolis. Fotos e reportagens dos 12 meses da tragédia, além de slides com imagens da destruição fazem parte da exposição, que ficou durante todo o dia de ontem exposta no Salão Nobre da Universidade Católica de Petrópolis (UCP).
Segundo o presidente executivo da entidade, Philipe Guedon, a principal proposta do evento era manter o debate e achar soluções para o planejamento da cidade. “Não queremos apenas criticar. A intenção não é essa. Queremos discutir e achar soluções para um planejamento básico da nossa cidade, evitando que novas tragédias aconteçam”, ressaltou. Também participaram da solenidade representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, do Ministério Público, da Defensoria Pública, da reitoria da UCP, além de membros de entidades da sociedade civil.
Durante a solenidade, também foi lida uma mensagem de Dom Phillipo Santoro, bispo de Taranto (Itália) e presidente de honra do Frente Pró-Petrópolis. No texto, Dom Phillipo destacou a morosidade para a construção das casas populares para os desabrigados. “Esperava que até o Natal de 2011 as famílias atingidas pelas chuvas tivessem em local digno e seguro para morar”, citou o bispo.
O presidente do Comitê de Ações Emergenciais, Luiz Eduardo Peixoto, que representou o prefeito Paulo Mustrangi na solenidade, destacou as dificuldades encontrados pelo governo para solucionar os problemas das famílias vitimadas pelo temporal. Em sua fala, Peixoto ressaltou que as ações emergenciais, logo após a tragédia, foram feitas. “Não podemos dizer que nada foi feito. Toda a assistência as vítimas foi dada, isso sem falar na retirada de entulho, limpeza e desobstrução das vias. Claro que ainda há muito a ser feito e estamos cobrando do governo do estado para que haja maior agilidade na conclusão dos trabalhos”, enfatizou.
A mostra Luzes e Sombras seguirá nesta semana para Itaipava, onde a associação Novamonsanta a levará para um shopping da região. Depois, a mostra seguirá para o Vale do Cuiabá.

Fonte: Tribuna de Petrópolis.




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS