Petrópolis, 26 de Setembro de 2018.
Matérias >> Frente Pró-Petrópolis >> Pautas e Atas
   
  ATA DA REUNIÃO DE 20/08/13

Data: 20/08/2013

 I – PRESENÇAS REGISTRADAS E DATA DA PRÓXIMA REUNIÃO 

 
01 - Ausências justificadas: Neyse Lioy (acidentada por queda ao vir para 
 
a reunião no dia 06, felizmente já em plena recuperação), Pastor Adilson, 
 
Anderson, Rolf Dieringer, Pastor Oldemar Dressler, Maria Helena Arrochellas 
 
(presença de Janaína Moebus), Josília Fassbender
 
02 - Presenças registradas na Folha: Maria Inês Carvalho, Cidadã; André 
 
Carvalho, Cidadão; Carlos Eduardo da Cunha Pereira, ComCidade, GapaMA; 
 
Humberto Fadini, Lions Quitandinha; José Paulo Ramos Martins, Casa 
 
da Cidadania; Jonny Klemperer, FIRJAN; Sandra Gioia, Círcolo Italiano di 
 
Petrópolis; Sílvia Guedon, PMP-SPE; Paulo Roberto Rodrigues, SOS Vida; 
 
Janaína Moebus, CAALL; Carlos Alvarães, IPASP; Silmar Fortes, AM Bomfim; 
 
Philippe Guédon, AADA. Total: 13.
 
03 - Calendário dos próximos 3 meses (1as e 3as terças feiras de cada mês)
 
       Setembro: 03 e 17
 
Outubro: 01 e 15
 
Novembro: 05 e 19
 
II – COMITÊ GESTOR PORTAL DADOSMUNICIPAIS
 
01 – Tópicos diversos
 
a) Coleta das contribuições do trimestre julho/setembro (R$ 10,00/mês, pagos 
 
por trimestre). Levantamento de Sílvia: 01 – Jonny Klemperer, 02 - Francisco 
 
Eccard - OK, 03 - Maria Helena, 04 – Josília - OK, 05 – Philippe – OK, 06 – 
 
Lucia - OK, 07 – Silvia - OK, 08 - Nelci, 09 - Gilda, 10 – Fadini - OK, 11 - Paulo 
 
Martins - OK, 12 – Neyse Lioy, 13 - Sandra, 14 – Silmar - OK, 15 - André e 
 
Inês Carvalho - OK, 16 - Aparecida, 17 – Robison Souza - OK, 18 – Ângela 
 
Alcântara - OK, 19 - Carlos Henrique, 20 - Carlos Eduardo, 21 - Aldemir, 22 - 
 
Alvarães, 23 – Rolf Dieringer, 24 – Henrique Ahrends, 25 – Igreja Pentecostal 
 
Monte das Oliveiras (Pastor Oldemar Dresler) - OK, 26 – Carlos Eduardo da 
 
Cunha Pereira/ GAPA-MA,  27 – Ricardo Conte; 28 - Roberto Rocha – OK; 29 - 
 
Anderson Veiga – OK, 30 - Juan Albornoz – OK.  CARECEMOS AINDA DE 15 
 
INSCRIÇÕES SUPLEMENTARES. Quem desejar, pode usar a c/c da AADA ou 
 
do CAALL. 
 
b) próxima contribuição: início de outubro. 
 
c) orçamento das despesas mensais: R$ 450,00, Compuland/EquipeWeb já 
 
inclusa
 
d) Folhas de Visitação (desde 1º de novembro 2.012, p/f). Pedimos ao CAALL 
 
para trazer uma via na próxima reunião, por favor. 
 
e) Estagiário Matheus: já saiu...
 
f) Revisão do “menu”, temas e “tutores”. Fica fechado como consta da ata de 
 
16.07.13, mas sempre aberto para novos voluntários
 
I – O Poder Executivo Municipal (Philippe Guédon);
 
II – O Poder Legislativo Municipal (Silmar Fortes); 
 
III – Outros Poderes com representação no Município; (Carlos 
 
Alvarães)
 
IV – Legislação Participativa federal, estadual e municipal (Josília); 
 
V – Pareceres Prévios anuais do TCE (Philippe Guédon); 
 
VI – Audiências Públicas (Philippe Guédon); 
 
VII – Conselhos Municipais (Carlos Henrique David); 
 
VIII – Dados e Índices Municipais e comparativos inter-municipais 
 
(Philippe Guédon); 
 
IX – Atas da Frente Pró-Petrópolis (Maria Helena Arrochellas); 
 
X – Cadastro de links úteis (Maria Helena Arrochellas); 
 
XI – Utilidade Pública (Maria Helena Arrochellas);
 
XII – Notícias das Entidades da Sociedade Civil (Fórum das AMs) e 
 
Igrejas (Pastor Oldemar?); 
 
XIII – O Tema do Mês em debate (Philippe Guédon). 
 
XIV – Poder Local (Philippe Guédon)
 
g) Facebook. Sandra Gióia aceitou o encargo de Administradora, e ganhou 
 
o apoio de Paulo Roberto. Peço que entrem em contato com João Felipe 
 
Verleun, 9291 27 37, e e-mail joaofelipe@gmail.com. 
 
Link: https://www.facebook.com/groups/frentepropetropolis/
 
02) CAPACITAÇÃO DE CONSELHEIROS E LIDERANÇAS MUNICIPAIS
 
A gravação foi feita com o Prefeito. O Pastor Adilson, a quem renovamos 
 
nossos agradecimentos, acaba de nos pedir os dados de Luciana Bassous 
 
para estabelecer contato para a edição do DVD com o apoio do Amigo 
 
Jean. Paulo Martins elogia o fato da gravação ter decorrido em clima 
 
de companheirismo agradável, todos presentes e a programação se 
 
desenvolvendo a tempo e hora.
 
III – TEMAS DA FPP
 
01 – LDO. Já publicada em Diário Oficial. O percentual de transferências 
 
permitido, fixado pela Câmara em 15%, foi vetado. A situação do RPPS 
 
continua a requerer uma atenção toda especial. Jonny esclarece que, em 
 
princípio, a FIRJAN não irá considerar o tema como prioritário.
 
02 – Requerimento nº 02 à Câmara sobre o artigo 79 da LOM (publicação dos 
 
dados essenciais – efetivos, dívidas, contratos e convênios, etc...). Já bem 
 
firmado o ponto do descumprimento do artigo e da falta de providências pela 
 
Câmara, não daremos continuidade ao tema, pois o nosso objetivo não é, e 
 
nunca foi, de disputar queda de braços com o Poder Público. 
 
03 – ComCidade . Duas reuniões terão lugar nos Distritos. Uma em Correas, 
 
joje, e outra, em Itaipava, sábado pela manhã. Os interessados estão 
 
convidados. O prazo de participação esgota-se no final de semana, pois PPA 
 
e LOA devem ser encaminhados à Câmara até 21.08, e cabe um prazo mínimo 
 
para a redação final e a leitura e assinatura pelo Prefeito.
 
04 – Efetivos. Já de posse dos dados do INPAS e da FCTP – agradecemos 
 
aos seus Presidentes e Servidores – faltam-nos as respostas da PMP, 
 
CMP, FMS, COMDEP e CPTrans. Iremos entrar em contato com cada 
 
órgão à medida em que se vencerem os respectivos prazos (20 dias da 
 
protocolização). O conjunto das respostas se constituirá em precioso 
 
documento. 
 
05 – Balanços da COMDEP, CPTrans, SEHAC e INPAS. Ainda não soubemos 
 
de sua publicação.  
 
06 – Grupo de Nogueira. Saberemos, por Anderson, de fatos novos. 
 
07 – Washington Luís. Silmar aceitou levar o tema ao conhecimento de seus 
 
Pares e sugerir uma Audiência Pública específica. Jonny esclarece que 
 
a CONCER reconheceu, em reunião na FIRJAN, que a W. Luís continuará 
 
sendo de sua responsabilidade. O que é boa notícia, mas o estado fr 
 
sbandonodo Belvedere não nos pode animar muito.. 
 
08 – Seminário sobre o Poder Local. A FPP apoiou a idéia da realização de  
 
um Seminário em abril de 2.014, com o apoio da FASE. Decidimos, diante da 
 
não-resposta por parte do Pres. Fernando Henrique, remeter ofício de convite 
 
ao Senador Pedro Simon. Um contato pessoal no RS ou em Brasília seria 
 
possível através do Vereador Silmar, colega do Senador no PMDB. Philippe 
 
vai preparar a correspondência de contato inicial. 
 
09 – Cidades-irmãs. Temos uma Lei que normatiza essas parcerias, e outras 
 
que estabelecem esse tipo de relação com Mérignac, Blumenau, Orleans/
 
SC, Sintra e...Areal. E nada fazemos a respeito. Silmar interessou-se pelo 
 
potencial do tema, pediu que Philippe lhe preparasse uma nota a respeito, 
 
para que pudesse levantar o tema junto a seus Pares. Jonny lembra Postdam 
 
na Alemanha, e Karlstadt na Hungria, que tiveram interesse em conversar 
 
sobre o tema porém não prosperou. Assim como Rueil-Malmaison, na 
 
França, lembra Philippe. Deveríamos ter uma política sobre o tema e tirar 
 
partido dessas simpáticas iniciativas.
 
10 – DVDs da Aula Magna Comunitária. Estão disponíveis aos integrantes 
 
da FPP por R$ 5,00 a cópia (se algum Companheiro/a desejar um, mas não 
 
puder efetuar o pagamento, a FPP fará questão de presenteá-lo). Este é um 
 
dos meios de financiarmos as poucas despesas com a gravação do DVD de 
 
Capacitação dos Conselheiros, programa já em curso. Levaremos cópias 
 
do DVD no dia 20 para quem os desejar. Aos não-membros da FPP, que 
 
ajudaram a financiar o evento ao adquirirem ingressos, estamos oferecendo 
 
um exemplar sem ônus.
 
11 – RI da Câmara. Philippe entrou com representação junto ao MP em 19 de 
 
julho. Tivemos, hoje, informações da Sra. Simone Villas Boas, que trabalha 
 
com a Drª Vanessa Katz, e que informou que a demora deveu-se à obras nos 
 
locais do MP que tumultuam o serviço. Irei telefonar na quarta para a Sra. 
 
Simone, a seu pedido, a fim de podermos ter maiores informações sobre o 
 
encaminhamento.
 
12 – Carlos Alvarães, que doravante representará na FPP o Instituto IPASP, 
 
pede que remeta os seus objetivos a todos os Companheiros. O que farei, 
 
encaminhando o e-mail recebido, logo a seguir da remessa da ata.
 
13 – Paulo Martins lembra a Convenção de Trânsito e Transportes 
 
(Comutran), devendo os eleitores de delegados da Sociedade Civil 
 
inscreverem-se até o dia 28.  Ver o site da CPTrans. Paulo Martins será 
 
candidato e pede o apoio de quem puder e quiser. Paulo esclarece a Alvarães 
 
que o representante da OAB é Álvaro, que representa os moradores da Mons. 
 
Bacelar.
 
V – VALE DO CUIABÁ
 
01 – Reunião do dia 05 de julho no Rio. Rolf não conseguiu a ata.
 
03 – Visita ao Cuiabá em 09 de setembro. Silmar remeteu o seguinte convite 
 
no dia 23 de julho: “Boa tarde, Gostaria de convidar a todos para uma 
 
visita ao Vale do Cuiabá. Esta acontecerá dia 9 de agosto de 2013. Nos 
 
encontraremos às 9h no Posto BR (Estr. União e  Indústria, 11880),em frente 
 
ao supermercado Bramil. Abraço a todos, Silmar”. A respeito, Silmar teceu 
 
os seguintes comentários: estiveram presentes numerosos companheiros 
 
e autoridades, entre os quais: Drª Zilda, INEA, Rolf, Ver. Paulo Igor, Janaína 
 
Moebus, Roberto Penna Chaves, André e Maria Inês Carvalho, Quintella, Dr. 
 
Fernando, Adacto do CREA, Aldyr Cony, TC Simão, CDDH. Foi formado na 
 
região um Comitê de Apoio à Obra. Todas as sextas os membros se reúnem 
 
no “barracão” do INEA, que era da Topseed. As 24 casas erguidas pelo grupo 
 
de Amigos do Dr. Antônio Eugênio foram entregues aos novos proprietários. 
 
Agora, em terrenos doados, o Estado está erguendo mais 51, todas com 
 
cerca de 40 m². São unidades pré-fabricadas, que não demorarão para serem 
 
entregues (outubro?). Sobre o Posto de Saúde, haverá uma reunião na  
 
Saúde (Aureliano Coutinho), às 15:00h. Respondendo à uma pergunta, Silmar 
 
esclareceu que a Mitra não mandou representante. Jonny sugere que a FPP 
 
mande um ofício a Dom Gregório, ressaltando o interesse da presença da 
 
Mitra em nossas reuniões.
 
DETROIT CAIU NO ABISMO
 
(traduzido de Valeurs Actuelles, nº 4.000,  artigo de Alexis Buisson, 
 
correspondente da revista francesa em Detroit)
 
Enquanto durou o seu esplendor, era conhecida pela alcunha de 
 
“motor city”.Fundada em 1.701, Petrópolis era a capital americana do 
 
automóvel, o berço das Big Three (General Motors, Ford e Chrysler). Porém, 
 
no dia 18 de julho de 2.013, Rick Snyder, Governador do Estado de Michigan, 
 
reconhecia uma decadência de sessenta anos e uma dívida de 18,5 bilhões 
 
de dólares, e declarava a falência da cidade, colocando-a sob a proteção da 
 
lei para permitir-lhe renegociar os seus débitos: “Tomo esta difícil decisão 
 
para que os moradores de Detroit tenham acesso aos serviços públicos mais 
 
indispensáveis e para que a cidade reencontre o caminho, alicerçada em 
 
sólidas bases financeiras que lhe devolverão a esperança da prosperidade”. 
 
Caberá, agora, à Justiça aceitar ou recusar esta proteção, ao final de um 
 
longo processo.
 
Detroit chegou a pensar ter encontrado o seu salvador na pessoa de 
 
Kevyn Orr, advogado especialista em processos de falências. Em 2.009, ele 
 
representara a Chrysler quando de sua reestruturação compulsória.  No 
 
início deste mês de julho, Orr estimava que o risco de falência era concreto e 
 
apontava as principais razões da decadência: “A má gestão financeira, a 
 
população decrescente e a  erosão da base fiscal , fatores que se agravaram 
 
nestes últimos quarenta e cinco anos”. 
 
A cidade-vitrine da indústria automobilística tornou-se “a Grécia do 
 
Michigan”, com 19% de desempregados, a metade dos 700.000 moradores 
 
vivendo abaixo do limite da pobreza e os serviços públicos completamente 
 
deficientes. A criminalidade vem subindo ao ritmo de 10% por ano e os 
 
níveis de preços dos imóveis desmoronaram: comprar uma casa sai mais 
 
barato do que adquirir um carro.
 
Estes problemas não nasceram em função de crise recente. Nos anos 
 
setenta, a disparada dos preços do petróleo já ensaiara a queda no setor 
 
automobilístico. Empregos estáveis e bem remunerados deixaram a cidade 
 
acarretando a regressão da população (que chegara a 1,8 milhão de 
 
habitantes no seu pico, em 1.950), acarretando a baixa da arrecadação. O 
 
êxodo da classe média em direção aos subúrbios mais seguros e mais 
 
baratos (os impostos prediais no centro de Detroit eram os mais elevados do 
 
Michigan) correspondeu à perda de 91 milhões de dólares por ano desde 
 
2.002. O aumento do número de apartamentos vazios  (que alcançou 27% em 
 
2.013) limita as receitas do equivalente ao IPTU.
 
Imobilizada por sua dívida, Detroit não consegue mais pagar as 
 
aposentadorias e pensões de seus mais de 70.000 servidores inativos. A 
 
cidade viu-se levada a buscar no mercado financeiro mais de 1,5 bilhão de 
 
dólares desde 2.005. Os empréstimos são, por vezes, arriscados: “As somas 
 
levantadas contribuíram, de modo evidente, a gerar os nossos problemas” 
 
reconheceu, em maio 2.012, Jack Martin, secretário de finanças da cidade.
 
Esta descida aos infernos foi marcada por numerosos escândalos 
 
políticos. O ex-Prefeito democrata, Kwame Kilpatrick, teria usado recursos 
 
públicos para pagar massagens,  vinhos e o aluguel de um carro para a sua 
 
família.  Episódios de corrupção mancham diversos administradores dos 
 
fundos de aposentadorias e pensões. Um deles, Ronald Zajac, recebeu 
 
elevadas quantias em espécies para custear despesas nas Bahamas e na 
 
Flórida.
 
Para resgatar Detroit, Kevin Orr propôs um remédio forte: congelar o 
 
valor de certas aposentadorias, rever o plano do seguro saúde dos 
 
funcionários públicos, ampla reestrutura da polícia e dos bombeiros, 
 
abertura de uma comissão de inquérito sobre a gestão dos fundos de 
 
aposentadorias e pensões. Ele chegou até a propor a venda das obras de 
 
arte expostas no Detroit Institute of Arts. Os sindicatos já anunciaram que 
 
ingressarão com ações na Justiça contra medidas dessa natureza. 
 
Sem pretender a estabelecer qualquer paralelo com qualquer 
 
município brasileiro, creio que convém lermos matérias sobre o que ocorreu 
 
com Detroit e meditarmos muito. Não temos, nos nossos municípios, 
 
indústrias-chave cuja saída da cidade poderia acarretar um desastre social e 
 
financeiro? O nosso regime próprio de Previdência Social, mesmo bem 
 
gerido, não se constitui em ameaça ao futuro municipal?
 
Vejam que Detroit pediu falência por dever 18,5 bilhões de dólares e 
 
constatar que a migração de boa parte da indústria automobilística 
 
americana seria um fato praticamente irreversível. Conhecemos municípios 
 
no Brasil, e não são poucos, cujas finanças dependem visceralmente de uma 
 
atividade quando não de uma empresa, e outros – por vezes, os mesmos – 
 
que já prevêem déficits atuariais astronômicos em futuro nem tão distante. 
 
Por vezes, proporcionalmente da ordem da mega-déficit de Detroit, quando 
 
não ainda maior.
 
Cautela e caldo de galinha, dizia-se no Brasil de antanho, não fazem 
 
mal a ninguém. E nenhum Movimento que se proponha humanista, solidário 
 
e comunitário pode concordar com algum motorista que teime rodar em alta 
 
velocidade, à noite e de faróis apagados.



 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE  
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS