Petrópolis, 24 de Novembro de 2017.
Matérias >> Petrópolis lembra, Petrópolis planeja!
   
  Piabanha. Localidade pacata que abrigou pesonalidades

Data: 13/12/2011

            Quando Petrópolis foi fundada, ela se chamava Rua Nassau, sendo a principal do quarteirão. No entanto, com a proclamação da República foram banidas as homenagens ao regime monárquico e numa reunião na Câmara de Vereadores a designação foi trocada para avenida Piabanha, devido ao nome do rio que a margeia as duas pistas da via.

            O trágico assassinato de John Kennedy em 1963 despertou o interesse do vereador Paulo Machado da Costa e Silva em trocar o nome homenageando o vitimado presidente americano e aprovado pelo então prefeito Flávio Castrioto. Vinte anos depois nova lei de autoria do vereador Carlos Alberto Vieira Mendes restabeleceu a denominação da Avenida Piabanha.

            Nela residiram grandes personalidades brasileiras como Afrânio Peixoto, Juarez Távora, o brigadeiro Eduardo Gomes e o poeta João Cabral de Mello Neto. Na entrada da Rua Kopke ainda existe um casarão que ficou conhecido como Casa das Duchas que servia de banhos para a elite Imperial e ao próprio Imperador Dom Pedro II.

            A região hoje com início no final da avenida Barão do Rio Branco e final na entrada da Rua Mosela é praticamente resumida a moradias que ultrapassam o número de cem. Também estão assentados no lugar prestadores de serviços e a localidade é conhecida como uma das mais tranqüilas da cidade.

Fonte: Diário dos Bairros, Diário de Petrópolis, Domingo, 27 de novembro de 2011.




 

 

Área do Município: 795.798 km²
População estimada (2013): 297.888 habitantes (95% alfabetizada)
Densidade Demográfica (2013): 371,85 habitantes/km²
PIB (2011): R$ 9.212.328.000,00 (R$ 30.925,47 per capta)
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (2010): 0,745 (13º dentre 92 no RJ)
Fonte: IBGE  
DADOS MUNICIPAIS EQUIPEWEB DADOS MUNICIPAIS DADOS MUNICIPAIS